domingo, 16 de abril de 2017

Fotógrafo sírio chora diante de atentado terrorista patrocinado pelos EUA na Síria


A imprensa ocidental não está divulgando um dos piores atentados terroristas realizados na Síria neste sábado.

Pelo menos 68 crianças estão entre as 126 pessoas que morreram no atentado com uma caminhonete-bomba realizado contra um comboio de ônibus, sendo um dos ataques mais violentos em mais de seis anos de guerra de ocupação da Síria por potências ocidentais que financiam terroristas.

Entre os mortos, 109 eram moradores de Al Fu'ah e Kafarya e voluntários do Crescente Vermelho Sírio, que estavam ali para facilitar o processo de evacuação. Além das crianças, havia ainda 13 mulheres, enquanto que o resto eram homens refugiados. Há dezenas de feridos e desaparecidos.

O atentado ocorreu quando os ônibus com evacuados de Al Fu'ah e Kafarya, dois povoados de maioria xiita da província de Idlib (noroeste), esperavam na passagem de Al Rashidin para cruzar para as áreas sob o controle das autoridades do governo em Aleppo.

Os veículos estavam estacionados nessa área, quando uma caminhonete explodiu. O atentado foi realizado por terroristas que se dizem rebeldes, financiados pelos governos dos EUA, França, Reino Unido, Turquia, Israel, Arábia Saudita e Catar, para tentar derrubar o presidente Bashar Al Assad.

Na foto acima um fotógrafo sírio que ajudou na retirada dos feridos chora desconsolado.

A pouca cobertura midiática é imoral e criminosa. Os responsáveis são aliados dos EUA/Otan e seus lacaios. Por isso a imprensa venal não divulga este atentado, para proteger os criminosos e terroristas.